Os brinquedos educativos: como identificá-los?

O brinquedo é um convite à brincadeira… Ele é responsável por torná-la mais rica, proveitosa e prazerosa. O brinquedo funciona como uma ponte entre aquilo que é desconhecido para o que é conhecido e são recursos de grande valor no auxilio do desenvolvimento social, afetivo, cognitivo e motor das crianças.

Podemos caracterizar e identificar um brinquedo educativo observando suas características e as inúmeras possibilidades de exploração que ele oferece. Ele é um diferencial, pois proporciona experiências muito marcantes para as crianças. É um brinquedo que não limita a atuação da criança como mera observadora.

Os benefícios dos brinquedos educativos estão em promover o desenvolvimento da linguagem, coordenação motora, raciocínio lógico, espacial e matemático, além da capacidade de relacionamento com outras pessoas, capacidade de lidar com suas próprias potencialidades, limites e emoções.

Qualquer objeto pode ser um brinquedo, basta representar um convite, sugerir uma brincadeira. Um pedaço de papel, sementes, tocos de madeira, potes de cozinha, tampas de panelas, sempre que supervisionado, tudo vira brincadeira.

Brinquedos não industrializados são mais interessantes, pois oferecem sensações e possibilidades diferentes. Sentir a textura da madeira, seu peso, o cheiro, isso aguça os sentidos e são estímulos muito importantes, principalmente na primeira infância. Além disso, brinquedos artesanais foram feitos por pessoas que gostam do que fazem e cada uma delas deixa impresso de uma forma ou de outra, a sua marca pessoal. Já os brinquedos industrializados acabam limitando a exploração e interação da criança, oferecendo poucas possibilidades de brincar.

Brincar é muito além de apenas se entreter e se divertir, brincar abre portas e janelas nas mentes e corações das crianças e adultos (sim, adultos também brincam) e constrói estradas.

Ao brincar as crianças descobrem o mundo pelo experimentar, observar e constatar. Desse modo, descobrem também a si mesmas a cada experiência marcante, como se abrissem portas e janelas para novas ideias e sentimentos. Suas potencialidades se tornam evidentes e constatam o próprio aprendizado e desenvolvimento.

Também constroem estradas, que facilitarão o caminhar da criança por toda sua vida. Um conhecimento adquirido pela própria criança tem muito mais valor do que algo ensinado.

A construção de um caminho de aprendizado em que a criança utilizou de sua curiosidade, observação, lógica, capacidade de associar e interpretar informações, persistência é uma experiência tão rica que nada a substitui. Esse caminho irá se conectar a vários outros e toda a rede servirá de base para novas formas de pensar e agir. Isso torna a criança apta a se posicionar em qualquer situação e aprender a resolver problemas. Quem aprendeu isso tem confiança em si mesmo, tem o que chamamos de resiliência, que é definido como a capacidade do indivíduo lidar com os próprios problemas, superar os obstáculos, as adversidades, e resistir à pressão em situações adversas.

Brincar é muito além de apenas se entreter e se divertir, brincar abre portas e janelas nas mentes e corações das crianças e adultos (sim, adultos também brincam) e constrói estradas.

Quando pensamos em qual brinquedo educativo é indicado para cada faixa etária, podemos dizer que é importante respeitar a criança e seu desenvolvimento, portanto, é equivocado tentar pular as etapas deste processo.

Não existe, a rigor, brinquedos inadequados para determinada idade. Basta avaliar, claro, a questão da segurança.

Nunca devemos desestimular uma criança dizendo: Esse brinquedo não é para você, é para criancinhas pequenas; ou então, esse brinquedo é de menina ou de menino.

Se há o interesse e o brinquedo é seguro, então é adequado, pelo menos para aquele momento. Nunca subestime uma criança, ela pode estar enxergando outras possibilidades de uso daquele brinquedo, ou está curiosa para vivenciar algo que ainda não experimentou.

 

Por: Hélia Hara, Proprietária da Loja Castelinho Brinquedos Educativos

R. Dr. Albano de Almeida Lima, 1089 – Castelo Campinas